AMAN75-83
O tema é: Brasil em perigo

Ditadura?

Por: NEY DE OLIVEIRA WASZAK - CEL
Em: 10 de SETEMBRO de 2014

Quem chama o período dos governos pós contrarrevolução de 1964, que salvou o Brasil de se tornar outra Cuba, de ditadura, onde o Presidente era um Militar, não sabe o que é ditadura ou deseja iludir o seu ouvinte.

Desejo falar dos mortos e desaparecidos, mas para isso é necessário algumas informações.

Em 1960 as Ligas Camponesas concebiam a ação revolucionária com base na experiência cubana, definindo a reforma agrária, na lei ou na marra.

A ida de brasileiros a Cuba, para receber treinamento militar, foi iniciada tão logo Fidel Castro chegou ao poder.

Em julho de 1961, 13 militantes das “Ligas Camponesas” - um grupo organizado e dirigido pelo deputado federal Francisco Julião - foram mandados a Cuba a fim de receber treinamento militar. Eles fizeram cursos - de três meses a um ano de duração - de guerrilha rural e urbana, fotografia, imprensa, enfermagem, inteligência, instruções revolucionárias e explosivos.

Podemos observar que antes de 1964 os comunistas já estavam treinando guerrilha, para que? Para fazer do Brasil uma democracia? Já não era uma democracia?

O que desejavam na era transformar o Brasil em outra Cuba.

Foram esses facínoras que trouxeram a guerra suja para nossa terra, o nosso Exército não conhecia esse tipo de guerra, teve que aprender a nova doutrina durante sua execução.

Os grupos terroristas treinados aliciavam jovens inocentes e os levaram à luta armada, com identidade trocada, com nomes falsos. Existem relatos de pais agradecendo ao Exército a devolução de seus filhos.

Nos diversos combates quando morria algum terrorista, eram enterrados, mas como usavam identidades falsas, ficaram sem a identificação correta.

"O que importa não é a identidade do cadáver, mas seu impacto sobre o público” (Carlos Marighela).



Estamos assistindo agora Secretaria de Direitos Humanos fazer solenidade para retomar o estudo de ossadas no cemitério de Perus. Em primeiro lugar, conforme relatado pelo funcionário da época, os corpos levados pelos heróis, que combateram os terroristas que não tinham identificação, foram conduzidos em caixão e enterrados como indigentes.

As pessoas que se filiaram às diversas facções de esquerda (comunistas), desde 1960 que aprenderam guerrilha na China, em Cuba e na Coréia do Norte para aplicar essa guerra suja no Brasil e através de ligas camponesas, e urbanas onde furtaram, assaltaram, sequestraram e assassinaram, NÃO TEM DIREITO ALGUM. SEUS CORPOS DEVERIAM SER RETIRADOS DE SOLO BRASILEIRO, PARA NÃO SUJÁ-LO, SÃO TRAIDORES.

O que ocorre é exatamente o contrário, o terrorista que matou, sequestrou e assassinou, inclusive na frente da esposa e filhos do assassinado, são tratados como coitados e perseguidos, isto com o uso da propaganda esquerdista-comunista, que ilude aos incautos.

Eu tenho certeza que a história não pode ser escondida para sempre e um dia esses párias não serão lembrados somente como terroristas, mas também como traidores.

Este artigo é um preito de honra a Civis e Militares, como o Cel Ustra, Cel Lício e outros verdadeiros heróis, que não recebem indenização por defender o Brasil e assistem terroristas que atacaram o Brasil receberem, não somente indenização como ovações.

É UMA VERGONHA!