AMAN75-83
O tema é: Brasil em perigo

Sugestão para o ajuste da economia.

Por: NEY DE OLIVEIRA WASZAK - CEL
Em: 09 de MARÇO de 2015

O Brasil está há 12 anos a mercê de ladrões e falsários, que em outra época tentaram fazer do Brasil uma república popular comunista.

Graças à população e às Forças Armadas (FFAA), nosso país não se tornou uma Cuba e ou a atual Venezuela.

A benevolência das FFAA permitiu o retorno dos bandidos, pois todos acreditaram na reabilitação, mas bandido é bandido.

Nossa população ignorante politicamente, somada aos analfabetos, colocaram no governo esses apátridas.

Como resultado, o Brasil foi qualificado como um dos países mais corruptos e de maiores riscos para investimentos e, além disso, nossos recursos foram exauridos e para reparar a péssima gestão, pedem sacrifício à população.

Não poso esquecer da corrupção e roubalheira, que no mundo nunca houve algo semelhante, e ainda o brasileiro corre o risco de não ver punição aos verdadeiros responsáveis: josé dirceu, lula e dilma.

Mas como patriota vou auxiliar o governo, minha proposta é a seguinte:

O ajuste fiscal necessário deve permitir a economia de R$ 18 bilhões por ano, conforme proposta do governo.

Despesas atuais:

1. 39 ministérios R$ 58,4 bilhões

2. Bolsa Família R$ 24,9 bilhões

3. Perdão de dívidas para ditaduras africanas, 2,7 bilhões

4. Bolsa paga a quem praticou terrorismo no Brasil, 340 milhões.

5. Bolsa cadeia, 210 milhões.

Economia possível:

1. Diminuir para 20 Ministérios, custo passaria para aproximadamente 29,9 bilhões com economia de 28,5 bilhões.

2. Acabar com bolsa vagabundagem ou voto, isto é, família, economia de 24,9 bilhões.

3. Não irei considerar o perdão da dívida, pois a recuperação não seria imediata.

4. Acabar com o pagamento à quem desejou vender o Brasil para ditadura comunista, economia de 340 milhões.

5. Acabar com a bolsa que ratifica que o mal compensa, pelo menos no Brasil, isto é, bolsa cadeia, economia de 210 milhões.

O total de economia anual poderá ser de 91,55 bilhões. Haverá até superávit.

Podemos observar que com a nossa proposta, além da economia ser muito maior que a proposta pelo governo, favorecerá ao país, pois não mais sustentaremos terroristas, vagabundos ou criminosos.

Com relação às famílias na linha de pobreza, sugiro acordos com empresas, para a formação de mão de obra, que terá como benefício à produção, e o moral do chefe de família, que não mais dependerá de esmola, ou bolsa voto.

Sei que não passa pela cabeça da corja, esse tipo de ação, pois o fundamental, conforme doutrina que abraçam, é criar o caos para surgirem como salvadores. Será que ainda não se viu isso?

EXÉRCITO BRASILEIRO, SOCORRO!