AMAN75-83
O tema é: Brasil em perigo

Intervenção? ou Guerra Civil pelo pt? II

Por: NEY DE OLIVEIRA WASZAK - CEL
Em: 23 de JUNHO de 2016

Em janeiro escrevi o artigo, “”Intervenção? Ou Guerra Civil pelo pt?”, onde questionei o porquê do Legislativo ou Judiciário não decretarem intervenção.

Hoje, diante dos acontecimentos não podemos contar com o Legislativo, pois sua grande maioria foi corrompida, conforme podemos ratificar em várias gravações e em ações no STF (Supremo Tribunal Federal). A maioria dos congressistas está envolvida em corrupção e furto do erário, ou seja, não agem em favor do Brasil.

No Judiciário também é de nosso conhecimento que existem Ministros que receberam favores do apedeuta, alguns; foram funcionários e outros com ligações de amizades. Sem querer criar juízo, fica difícil acreditar nas isenções, principalmente quando alguns desses Ministros não se julgam impedidos em participar da corte, quando esta julga o amigo, ações que o envolvam ou aos seus asseclas.

Esse Judiciário, deveria retirar qualquer sigilo referente a acusações feitas aos políticos e inclusive publicar o nome dos ainda supostos bandidos. No caso quem deve ser preservado é o povo brasileiro e não os facínoras.

No dia, 22 de junho de 2016, assistimos o Deputado Jair Bolsonaro, não envolvido nas falcatruas desvendadas pelo processo chamado lava-jato, como a grande parte dos Congressistas, e de direita, ser declarado réu, por ter feito um pronunciamento contra uma deputada, que não merece que seja declarado seu nome. Faço algumas ponderações:

1. A referida deputada defendeu o bandido “champinha”, que vitimou o casal Felipe e Liana, ele foi morto à enxadadas e ela após uma semana, sendo estuprada, por cinco bandidos, foi decapitada. Há época, essa dita deputada processava o Digníssimo Dep Bolsonaro, por ele ter se indignado com as atitudes da defensora do ESTUPRADOR;

2. A referida deputada agrediu o Dep Bolsonaro, acusando-o de ESTUPRADOR, durante uma entrevista, concedida por ele;

3. O Lema “Não Mereço Ser Estuprada”, era utilizado pela referida deputada, o Bolsonaro somente o repetiu;

4. Se não me engano, em plenário, os Congressistas tem imunidade, e não há restrição. Vimos recentemente alguns, infelizmente congressistas, incitarem a prática crime de morte e subversão e não assisti o mesmo zelo pelo STF;

5. O Projeto de Lei-5398/2014, do Dep Jair Bolsonaro, visa aumentar a pena para os crimes de estupro e estupro de vulnerável, exige que o condenado por esses crimes conclua tratamento químico para inibição do desejo sexual como requisito para obtenção de livramento condicional e progressão de regime. O deputado já se manifestou contra o livramento condicional e a progressão de regime.

6. Minha pergunta. Este Deputado é favorável ao crime de estupro, ou sua declaração foi uma reprimenda a deputada que o agrediu?

7. Será que há algo de podre no reino da Dinamarca, ou STF?

Após o afastamento da presidente terrorista e corrupta, assume o governo o Senhor Temer, que para corrigir os rumos, deve tomar atitudes duras e responsáveis, mas infelizmente, para garantir maioria no Congresso, manteve o chamado presidencialismo de coalizão, que somente serve para troca de favores.

O Presidente Temer, em minha opinião, deveria nomear auxiliares de respeito, honestos e com conhecimento na área de atuação e não se aliar a nenhum político da gestão anterior ou sobre o qual paire alguma dúvida quanto ao seu procedimento. Para obter a votação favorável, para aprovação de leis necessárias, sugiro apresentar ao povo as razões, esclareça a realidade e diga que a não aprovação por parte dos políticos é a derrocada do País, e peça que o povo participe do convencimento aos políticos, para que atendam as necessidades do Brasil.

O uso da velha forma do “toma lá dá cá”, irá levá-lo ao descrédito.

A GUERRA CIVIL, já é uma certeza, somente não sabemos o momento de sua deflagração. Senhor Presidente, o senhor tem nas mãos a condição de impedir tal certeza, o Senhor poderá ser um Estadista ou mais um dos políticos preocupados com o bem pessoal e do seu grupo.

Na minha ignorância vejo ainda como saída uma ação do Judiciário decretando a intervenção, definindo um grupo de brasileiros responsáveis para que num período definido, governe o País e nesse período seja empossada uma Constituinte, conforme dito acima.

Faço este alerta, pois o expurgo dos maus políticos e uma nova formatação no processo político eleitoral e na condução dos Poderes será a forma de evitarmos uma guerra civil, pois qualquer paliativo político nos levará ao conflito, digo isto desde a promulgação da atual Constituição, naquele ato afirmei: “Demos o primeiro passo para uma guerra civil”.

Esta Constituinte deverá ter objetivos bem definidos, dentre os quais sugiro:

Nova estrutura política eleitoral, sem os chamados votos de legenda e com limitação na quantidade de partidos;

Não permitir que os Poderes Legislativo e Judiciário definam seu ganhos salariais e vantagens, pois tais ganhos serão os definidos iguais aos dos funcionários públicos, da mesma forma a definição do regime de trabalho;

Quem desejar se aprofundar nas sugestões, acesse o artigo “Federação, como?”, de 20 de janeiro de 2013, procure pelo título no nosso sítio.

Caso não haja esta atitude pelo Judiciário, nos cabe exigir das Forças Armadas (FFAA), o cumprimento de sua missão. Esta convocação deverá ser evidenciada pela população nas ruas gritando pela intervenção constitucional, como forma de nos recolocar no caminho de progresso.

Em minha opinião, para que não se chegue à GUERRA CIVIL, será necessária a intervenção, com a prisão dos pseudos democratas que propagam o comunismo, o bolivarianismo, usando a corrupção e a degradação do Estado para sua perpetuação no poder.

Deve a Instituição interventora explicar detalhadamente, através da mídia, aos brasileiros os fatos provocadores da intervenção. Deve também a autoridade interventora, ainda divulgar nas Escolas e Faculdades, com uma clara explanação, sem o famoso politicamente correto, e sim falando de forma objetiva, nominando os bandidos, que na realidade são TRAIDORES.

Apesar de algumas atitudes descabidas, por parte de alguns Ministros do STF, ainda mantenho confiança nesta Instituição, mas se suas atitudes mostrarem que dão às costas ao Brasil, não resta outra atitude do brasileiro, a não ser exigir ação das FFAA.

Lembro ainda que além do perigo gerado por políticos comunistas e bolivarianos, afirmo que a guerrilha armada já está instalada no País, principalmente na área amazônica, um de seus braços é a Liga dos Camponeses Pobres, uma organização radical de extrema esquerda usando a luta armada como estratégia para chegar ao poder. Esta Liga está instalada em Rondônia e controla a entrada em seu território.

Não quero nosso Brasil, igual à Cuba ou Venezuela