AMAN75-83
O tema é: Brasil em perigo

O TSE está acima da Lei?

Por: NEY DE OLIVEIRA WASZAK CEL
Em: 08 de FEVEREIRO de 2018

A Lei 13.165/2015, determina que no processo de votação eletrônica, a urna imprimirá o registro de cada voto, que será depositado em local lacrado, sem contato manual do eleitor.

TSE, através de seu Ex-Presidente Gilmar Mendes, restringe o voto impresso a 5% das urnas.

Fico pasmo, pois no meu entender um juiz não pode deixar de cumprir a lei.

A desculpa de que não há recursos é falsa, pois se há recursos para a identificação biométrica, que é mais cara, a lógica afirma que os recursos para se cumprir a lei também existe.

Este senhor, em minha opinião deseja que seja mantida a possibilidade de burlar a urna eletrônica.

Fico também pasmo, com a mídia de esquerda que afirma ser uma evolução a urna eletrônica. Senão vejamos:

1 . O TSE legisla, compra, instala e opera os equipamentos. Não podemos esquecer que o TSE é quem fiscaliza, isto não é correto.

2. Como os fiscais dos partidos podem conferir a urna?

3. A empresa responsável pelas urnas confessou ter subornado funcionários públicos chineses e falsificou documentos na Rússia (fonte revista Veja). Os brasileiros devem confiar nessa empresa? O Ministro Gilmar Mendes confia????

4. Steven Dettelbach, promotor público do distrito norte de Ohio, EUA, acusou a empresa de “adotar um padrão criminal global” (fonte revista Veja).

5. A fraude nas urnas não depende de acesso por internet, eu acredito que já exista programa implantado, já configurado para tal. Como analista, ainda digo que muito difícil identificar tais fraudes, pois as rotinas podem estar na BIOS, da máquina, ou mesmo escondido para funcionar a partir de determinado momento e ser excluído em outro.

6. No último teste público do equipamento promovido pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), em 2012, uma equipe de especialistas em computação da UnB (Universidade de Brasília) descobriu uma lacuna no sistema de segurança. Especialistas alertam sobre fraude nas urnas eletrônicas, clique aqui e veja mais.

7. Exceto no Brasil, modelos de primeira geração foram abandonados por falta de confiabilidade. O TSE impõe que confiemos na caixa preta, já reprovada em vários países e que não permite auditoria.

8. No Brasil, onde os políticos são notícias policiais, alguns estão presos, onde temos juízes condenados por corrupção devemos confiar de olhos fechados?

9. De acordo com a decisão do Tribunal Constitucional Federal alemão, o qual baniu as urnas eletrônicas do país em 2009, as eleições devem permitir que qualquer cidadão averigúe a contagem de votos e a regularidade do pleito sem possuir conhecimentos especiais, algo que as urnas eletrônicas de primeira geração impedem que aconteça.

10. Na conferência de segurança cibernética DEF CON, realizada em agosto de 2017 em Las Vegas, os participantes foram convidados a tentar superar as defesas de 30 desses aparelhos, adquiridos pelo eBay e em leilões do governo. Em menos de 90 minutos, as máquinas começaram a cair.

Há tempos escrevi uma forma simples para burlar a urna.

Desejando detalhes clique aqui.

O ex-procurador-geral da República Cláudio Fonteles e o professor de Direito da Universidade de Brasília (UnB) Marcelo Neves apresentaram em julho de 17, ao Senado um pedido de impeachment do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes. Os motivos são: Ter praticado atividade político-partidária; Deveria se declarar suspeito ou impedido, ele atuou no Tribunal Superior Eleitoral em processo no qual o advogado Guilherme Pitta estava atuando e Guilherme Pitta é advogado do escritório em que também é sócia a senhora Guiomar, esposa de Gilmar Mendes. Fonteles e Neves argumentaram que Gilmar Mendes tem agido de maneira indecorosa quando critica decisões de outros magistrados.

Onde está o Senado que não julga? Será que por ter uma boa parte em vias de serem colocados como RÉUS, não desejam importunar a corte?

Não podemos nos esquecer da reportagem na Revista Veja, onde é mostrado o caso da venda ao Governo de Mato Grosso, da faculdade que pertenceu ao Gilmar Mendes, aparentemente superfaturada.

Agora com um novo Presidente no TSE, Exmo Sr. Luiz Fux, presumo ser tomado um novo rumo e que nosso Brasil não fique nas mãos de empresa não fidedigna. Torcemos pelo Senhor Ministro Luiz Fux



Brasileiros! Vamos nos movimentar para que haja o voto impresso, e que seja validado pelo eleitor, pois se o voto não for impresso a fraude fica evidenciada.



BRASIL LIVRE DE COMUNISTAS E CORRUPTOS.