AMAN75-83
O tema é: Verdades

QUEREM FAZER DE NÓS UM PAÍS DE CRETINOS!

Por: VALTE(REF) SERGIO TASSO VáSQUEZ DE AQUINO
Em: 07 de MARÇO de 2018

”Não me quero mudar do Brasil;
Quero que mude o Brasil!
(De inspirado e atento observador anônimo da realidade nacional).



No primeiro jornal da tarde de ontem, 06 de março de 2018, a Rede Globo de Televisão deu mais um importante passo na sua constante, determinada e bem sucedida campanha pela cretinização da população brasileira.

A reportagem focalizava dois chamados “observatórios”, criados para “monitorar as ações das Forças Armadas na intervenção no Estado do Rio de Janeiro”. O primeiro era constituído pela OAB- seccional RJ e outros órgãos menores de inconfessáveis intenções e propósitos, e o segundo, por propaladas “associações de moradores das comunidades (favelas)”, ambas muito atuantes em colocar desde logo os militares sob suspeição e muito “interessadas na defesa dos direitos humanos”.

Interessante é que nunca se haviam manifestado preocupados com a defesa dos direitos dos moradores trabalhadores das favelas e de outras regiões deste Rio conflagrado, transformado em zona de guerra pelo crime. Que estabeleceu um estado espúrio dentro dos limites do estado legal, e mantém reféns e em sobressalto os cidadãos de bem, sem direito a tranquilidade, segurança. Ir e vir, trabalhar e viver em paz!

Em verdade, o que os anima é batalhar pela garantia da preservação da liberdade de ação, de intranquilizar, de roubar, de matar para os criminosos que infestam todos os recantos deste infelicitado estado, favela, asfalto, estradas..., e de defender “os direitos humanos” de tais celerados contra o braço fortalecido dos agentes verdadeiros da lei.

Em realidade, as polícias militar e civil do Estado do Rio vinham, há longo tempo, travando batalha desigual contra os criminosos, dotados de recursos e armamento muito mais eficazes e poderosos, propiciados pela constante e generalizada ação antissocial por eles desenvolvida, em termos de roubos e assaltos, e principalmente, de contrabando de armas e de drogas e do tráfico desse flagelo da humanidade. A situação começou a agravar-se desde os tempos de Brizola governador, que, por motivos ideológicos de apoio à implantação do regime vermelho no País, proibiu a subida da polícia aos morros, concedendo liberdade à proliferação do crime, até atingir o clímax, nos mais recentes governos, tisnados pela mais abjeta e profunda corrupção, no Executivo e no Legislativo. Ficou, assim, o aparato policial privado dos meios necessários para cumprir sua missão de zelar pela segurança pública e condenado a combater uma guerra desigual contra os “fora-da-lei” mais poderosos e protegidos. Já partia de uma situação tática inferiorizada, eis que condenado a combater em campo aberto (as ruas de acesso às favelas), contra inimigos entrincheirados em posições dominantes, porque mais elevadas, e privilegiadas, protegidos e escondidos pelo casario.

Com o passar do tempo, e infelizmente, ocorreu a contaminação de parte ponderável do sistema policial pela corrupção que se havia tornado generalizada na administração fluminense.

A insegurança da população, os clamores desesperados do povo ameaçado, levaram o governo federal a, finalmente, mexer-se. Decretou a intervenção na segurança, e, como sempre em nossa História, chamou a Instituição Militar, a mais dedicada ao Brasil, a que goza de maior respeito e conceito entre os brasileiros, a mais competente e completamente dedicada ao cumprimento da Missão, para encarregar-se de, e resolver, a tenebrosa situação.

Por enquanto, contudo, têm os militares um dos braços amarrado, e paira séria ameaça de frustração às expectativas geradas pela sua intervenção, eis que não lhe foram outorgados o poder de polícia e outras capacidades necessárias, e graves limitações legais tolhem, ainda, as ações que deveriam ter as condições de empreender, para conceder eficácia e sucesso à tarefa de erradicação definitiva do império do crime no Rio e alhures.

Voltando ao tema inicial, para comprovar a tese do sucesso na campanha pela cretinização da população brasileira, conduzida pelos inimigos do Brasil, por pessoas e instituições mal intencionadas e dedicadas a dominar nossa Pátria para os tenebrosos propósitos da corrupção institucionalizada, da subserviência aos centros mundiais do poder e da entrega a estes dos recursos do portentoso patrimônio nacional, ou do predomínio da ditadura vermelha sobre nós, temos os inacreditáveis e desmoralizantes mais recentes resultados das pesquisas eleitorais, referentes às próximas eleições para a Presidência da República, hoje divulgados!